Documentário sobre racismo de um modo bem diferente, olho no olho

Se há uma coisa que eu não sou a favor é a idéia de que somos todos iguais. Não, não somos. Aliás, é das diferenças que se a faz a riqueza humana.

Mas isto não é ligado a raças, espécies ou seja lá o que você queira definir como divisão do ser humano. Eu divido o ser humano pela sua individualidade. Eu não sou e nunca vou ser igual a nenhuma pessoa, como você também nunca será igual a outra.

E eu valorizo esta diferenciação como indivíduo, porque ela é a prova viva de que você tem personalidade.

O grande problema é a segregação irracional ligada a raças, ideologias e outras coisas mais. Nesta a pessoa abre mão do seu individual para adotar uma ideologia que alguém inventou e como a famosa idéia de time, segue aquilo cegamente sem analisar.

O trabalho da Mo Asumang é bem interessante. Filha de mãe alemã e pai Galês ela descontente com a onda de racismos e discriminação ( irracional ) de alguns países ela foi conversar cara a cara com alguns Neonazistas e outros grupos para ouvir as suas idéias. Percorreu as ruas da Alemanha com uma câmera e questionou muitos deles sobre o que eles tem de planos para os negros e porque eles são contrários a sua raça.

O resultado foi fantástico e dá para ver a irracionalidade da galera nos argumentos e, que, no fim, nunca pensaram realmente na lógica daquilo que defendem.

ataliba

Analista de Sistemas com especialistas em Unix/Linux e Redes de Computadores aprendeu a gostar de segurança da informação durante sua atuação profissional e após uma Pós, se apaixonou por inteligência e ContraInteligência.

Você pode gostar...