Forense de smartphones para detectar distração

Eu não entendi lá muito bem o título lá no blog do Schneier hoje quando li mas após dar uma lida completa na notícia fiquei menos sem entender como vocês estão aí agora.

Bom, uma empresa chamada Cellebrite está desenvolvendo uma solução portable para forense para dispositivos móveis que iria determinar se um usuário estava usando aquele dispositivo em um momento específico.

A idéia é tirar a famosa dúvida se o usuário estava usando o smartphone durante um acidente e se ele pode ter sido um dos culpados pelo acidente. Na sua primeira proposta a legislação da cidade de Nova York meio que obriga os condutores a enviar os seus telefones para testes a partir de um textalyser para determinar se o motorista estava usando o telefone antes ou durante um acidente.

Em uma tentativa de dar uma volta na quarta emenda de lá ( os políticos dos Estados Unidos estão ficando mestres nisto ) em relação ao direito a privacidade o textalyser supostamente iria manter as conversas, contatos , fotos e  dados em plena privacidade, mas … duvidamos é evidente, pois uma vez com acesso quem garante que tais dados não pode ser utilizados pelo governo ?

Em uma análise mais profunda , neste caso já com um mandato judicial poderia ser necessário determinar se tal uso foi através de uma tecnologia do próprio carro ou para confirmar a descoberta original.

Sim, porque uma pessoa poderia estar utilizando o telefone mas sem que estivesse ocupando as mãos pois muitos carros hoje permitem este tipo de tecnologia conectando o seu smartphone a ele.

Eu acho uma tecnologia interessantíssima, mesmo que tenha um pouco de ressalvas em relação a isto.

Se levarmos em conta que realmente o que foi dito sobre o textalyser em relação a privacidade é realmente algo confiável, eu, tal qual a fonte deste texto, não vejo isto como um problema de privacidade, já que no fim é praticamente o mesmo teste de um bafômetro.

Mas, como sempre ressalto é bom lembrar que nunca podemos confiar plenamente em governos, como sabemos e portanto, pode haver muito mais coisas as quais não nos forma apresentadas por completo né ?
Há discussões rolando tanto no Slashdot quanto no Reddit sobre este assunto e, lógico, vale a pena acompanhar.

 

ataliba

Analista de Sistemas com especialistas em Unix/Linux e Redes de Computadores aprendeu a gostar de segurança da informação durante sua atuação profissional e após uma Pós, se apaixonou por inteligência e ContraInteligência.

Você pode gostar...