Lembram do cara que “casou” com um travesti ?

Recebi um contato esta semana do pessoal do Portal Cocal, que havia colocado no ar a primeira notícia sobre este caso.

Na primeira notícia, a imagem que tínhamos do infeliz era que ele só podia ser doido. Viver seis meses com uma travesti e não saber que era homem, era algo inimaginável.

Com a matéria abaixo, ele agora até pode ser perdoado.

Mas, uma coisa temos que reconhecer, o tal moço(a) que forjou a gravidez, é criativo(a) para caramba hahahahaha …

Travesti “grávida” revela que é procurada por ex

O mistério sobre a história da travesti que mentiu ser mulher e forjou uma gravidez para o namorado foi revelado ontem: ela é operada e aproveitou os exames de uma amiga gestante para iludir o parceiro. A moça, que usa o nome de Bruna de Souza, de 19 anos, é moradora de Gravatal e namorou cerca de seis meses com um jovem de 22 anos de Cocal do Sul, sem que ele soubesse que o nome verdadeiro dela era Rodineli Carlos de Souza.

O fato inusitado virou notícia nacional, foi publicado em diversos sites e chegou a ser manchete de um jornal do Rio de Janeiro após a publicação com exclusividade na edição do dia 25 de outubro do DS, quando o rapaz descobriu que a namorada grávida era um travesti. “Gostava muito dele e vi a chance de me aproveitar de uma gravidez para ficar com ele. Cheguei a acreditar que realmente estava esperando um filho, tive enjôos e procurei médicos. Um deles chegou a pensar que eu estava grávida”, revela Bruna, como prefere ser chamada.

A jovem confirma que conheceu o rapaz em um baile, ficou com ele e após quatro dias foi pedida em namoro. Cerca de três semanas depois, Bruna já estava na casa do namorado e havia conhecido a sogra, que segundo ela, é uma fera. “Já havíamos mantido relações sexuais e cheguei a brincar que ficaria grávida. Ele começou a cuidar mais de mim e vi a chance de um relacionamento sério. Tinha uma amiga grávida e peguei a urina dela para fazer um teste de gravidez de farmácia. É claro que deu positivo e o meu namorado adorou”, conta aos risos.

Pouco tempo depois, o rapaz iludido, já pensando em casamento, adquirir um terreno e construir uma casa, pediu um exame de sangue. “Conhecia uma Bruna de Souza e sabia que ela estava grávida, então vi que meu plano poderia continuar dando certo. Mais um exame foi forjado.Eu gostava dele e não estava investindo naquela relação por dinheiro,
mas por amor”, revela Bruna.

Após três meses, a barriga começou a crescer, segundo a travesti. Mas entre um mês e outro, Bruna já havia perdido o amor pelo futuro marido e acabou o traindo com um amigo dele. “Teve uma noite que disse que viria para Gravatal, mas acabei indo dormir com o outro. Quando acordei, fui apanhar umas frutas no quintal da casa onde estávamos e o
pai dele acabou descobrindo ao ver a minha identidade na bolsa, que eu era homem. Desta eu me safei, eles não contaram nada”, lembra.

Logo depois da saia justa, Bruna foi visitar os pais em Gravatal, acabou apanhando do padrasto e voltou para os braços do namorado. “Fui com a mãe dele na delegacia e foi lá que descobriram tudo. Dei o nome de Bruna e disseram não existir. Passei o nome da minha mãe verdadeira e responderam que também não conferia. Voltamos outras vezes e ficaram de dar um retorno quando descobrissem o que estava acontecendo”, relata.

“Ele era muito ingênuo”, afirma

COCAL DO SUL – Bruna voltou da delegacia para a casa do namorado aflita. Já fazia cerca de seis meses que o casal estava namorando e ela
sabia que era questão de tempo para ser desmascarada. “Ele é muito ingênuo e bobo, eu não tinha medo. O meu namorado não iria me bater, eu sou mais forte. Mas fiquei apurada, querendo ir embora, mas ele não deixou”, conta Bruna, já premeditando que a bomba iria explodir. Não deu outra, o telefone tocou e era a polícia. Estavam todos em casa: mãe, pai, filho e a Bruna. “A minha sogra atendeu e colocou no viva voz. O policial disse que haviam descoberto que meu nome era Rodineli. Ela ficou feliz e o policial voltou a falar: “Mas calma, se sente porque agora vem o pior”. Foi então que ele disse que eu era travesti”, relata.

Bruna não pensou duas vezes e fugiu pela janela do quarto. Na estrada pediu carona e um carro parou: era a polícia. A travesti foi levada para a delegacia e encontrou com o namorado e a sogra. “Ela queria me bater. Já ele só pedia para eu dizer que era mentira, mas confirmei. Só assim para ele descobrir, é muito tanso. Depois disso fui embora. No dia seguinte fiquei sabendo que ele passou mal”, fala Bruna.

Hoje o casal não está mais junto, mas o ex-namorado ainda procura pela travesti. “Ele sempre me liga, pergunta como estou. Já chegou a dizer que me adora e a cogitar a possibilidade de ficarmos juntos e ir morar em outra cidade para evitar chacotas, mas eu não quero”, conta, após afirmar que, com o término, os sintomas da gravidez sumiram.

Bruna de Souza fez a cirurgia de mudança de sexo em setembro de 2007 e toma hormônios desde os 16 anos. “Hoje não faria a cirurgia. Sinto atração por mulheres também”, exclama, e prefere não revelar onde trabalha e mora.

Fonte: Portal COCAL

ataliba

Analista de Sistemas com especialistas em Unix/Linux e Redes de Computadores aprendeu a gostar de segurança da informação durante sua atuação profissional e após uma Pós, se apaixonou por inteligência e ContraInteligência.

Você pode gostar...