Oracle anuncia a compra da Sun

Eu demorei tanto a falar sobre a compra da Sun pela IBM, que houve a desistência da Big Blue.

Eu, como muita gente, estávamos apreensivos com os problemas que poderiam vir desta não compra. Como todos sabem, a Sun
a algum tempo vem enfrentando problemas financeiros, principalmente, por ser uma companhia voltada para desenvolvimento de tecnologias.

Sim, porque ao contrário da IBM ou outras, que em geral “usam” tecnologias, a Sun desenvolve tecnologias de alto escalão e por isto, seu custo de desenvolvimento talvez não cubram tudo que ela precisa para sobreviver.

Com esta visão a frente do seu mundo, a Sun viu seus lucros cairem, mesmo que tivesse bons produtos, muita gente não via aplicação para os mesmos.

Apesar de ser criadora do melhor Unix do mercado, ela viu o Sr. Linux ganhar o mercado nos servidores x86. E ai, ela criou o Solaris para x86 e começou a ganhar mercado na plataforma baixa.
Infelizmente, o Solaris não “estourou” o tanto que ela esperava e a coisa foi ficando cada vez mais preta para o lado da Sun.

O grande trunfo da Sun sempre foram os seus processadores. Os Sparc, sempre foram uma obra de arte em termos de desempenho e casamento com o seu sistema operacional. Nem IBM, nem HP haviam conseguido o que a Sun sempre conseguiu com o seu Solaris casado com os seus processadores Sparc.

Pessoalmente, sempre adorei a dobradinha da Sun com os seus processadores. Ou seja, nada mais natural que quem sempre foi usuário de Sun/Solaris, não passasse para os seus concorrentes.

Além disto, a Dona Sun sempre foi respeitada no mundo atual por ter criado a linguagem mais utilizada hoje em ambientes corporativos, o Java. O Java ainda é uma das tecnologias mais aceitas, muito mais que os .NET da vida da Microsoft. Alias, o Java é uma pedra no sapato da Microsoft a anos e ela tenta de todos os modos fazer uma tecnologia multiplataforma, mas isto é sem dúvida uma das
grandes deficiências dela.

De tanto ela lutar em ser hegemonia em tudo, perdeu a capacidade de ser operacional com outros ambientes/sistemas operacionais.
Daí, seu .NET ainda não conseguiu bater o Java nisto, apesar de ser um ambiente muito mais fácil de programar ( sim, Java é bem mais difícil de programar bem, haja vista as porqueiras que nós, SysAdmins, somos forçados a enfrentar no dia a dia ).

Além disto, a Sun havia comprado o MySQL. Este é um SGBD simples, que ganhou a internet na sua dobradinha PHP/MySQL. É meio que um tamborete comparado com grandes bancos do mercado, mas o MySQL aguenta sim o tranco para a maioria das aplicações que temos por aí.

Com este suporte, ou seja, tríade, a Sun estava mandando bala.

Ah, e ainda esqueci de falar do Glassfish, que é o servidor de aplicação da Sun. Tal qual a Red Hat fez com o suporte aplicado ao Jboss com o seu sistema operacional, a Sun iria montar o Glassfish bem casado com o seu sistema operacional e suas ferramentas de administração.

Ou seja, a Sun estava montando uma grande estrutura de software e hardware integrados que iriam levar realmente um bom tempo para dar o fôlego necessário a empresa.

A desistência da Big Blue, apesar do lado positivo da Sun não ser engolida por uma empresa mais retrógrada, gerou uma incerteza sobre o futuro da companhia.

Mas, por trás de tudo, vinha a Oracle. Todos conhecem o Oracle e seu bom relacionamento com a Sun. O Banco de Dados Oracle é reconhecidamente um dos maiores players do mercado, rodando com
maestria nos Unixes, principalmente no Solaris.

E parece que é neste bom relacionamento que a Oracle vai investir. Pelo que foi falado para todos os lados hoje, parece que a venda da Sun para a Oracle é realmente eminente. E, ainda, tende a virar uma pedra no sapato dos outros grandes players, principalmente aqueles que vendem os tamboretes SGBD ( aka Microsoft SQL Server ).

Bom, e qual é o ganho da Oracle agora com a aquisição da Sun ? Primeiramente, a Oracle deixa de depender de terceiros para fornecimento de infra estrutura para rodar seus produtos.

Ou seja, agora a Oracle pode casar sistema operacional/Hardware e banco de dados em uma solução forte, assinada por um grande player de mercado.

Ganha com a aquisição de um grande servidor de aplicação que pode ajudar muito no desenvolvimento dos seus atuais servidores de aplicação, tornando-a um player tão forte com a Red Hat com o seu Jboss. Imagine, um pacote completo, incluindo sistema operacional + servidor de aplicação casados, e novamente, assinados por um grande player.

Quanto ao Java, ele vai se sentir em casa. Oracle e ele sempre conversaram muito bem, e não vai ser do interesse da Oracle que o Java morra. O que deve acontecer é que ferramentas mais elaboradas de integração com o banco apareçam e ainda, criem dor de cabeça a outros players.

O MySQL pode começar a ser uma boa opção para matar o Berkeley DB, aplicado na maioria das soluções LDAP que temos por aí e se não me engano a da Oracle também. Resumo, a Oracle ganhou um GAP enorme de
produtos que podem vir a tornar os produtos da mesma muito melhores.

O que tranquiliza, pelo menos a mim, é que a Oracle é uma empresa mais jovem e por isto, tem uma visão não tão “retrógrada” quanto a IBM.
A Sun/Oracle aparecem em um mercado cada vez mais “fomentado” por empresas que querem entregar soluções completas.

Só que, lógico, sem querer ser deuses, tal qual a Microsoft, com os seus produtos meia-boca hehehehehe