Vamos matar o ciclo da Inteligência ( pesquisa original )

Por: Kristan J. Wheaton
Original em: http:// sourcesandmethods.blogspot.com.br/2011/05/lets-kill-intelligence-cycle-original.html

Eu quero dizer isso.

Novo ciclio da Inteligência
O “ciclo da Inteligência”, como uma representação de como funciona o processo de Inteligência, é uma relíquia da era da Segunda Guerra mundial que já tem sua validade bem aquém do momento em que foi vendido. Tornou-se tóxico. Infecta mais que informa. É menos um círculo que um ciclope – é antigo, feio e destrutivo.

Eu o quero morto e enterrado, esmagado, eliminado.

Eu não me importo, francamente, com o que tenhamos que fazer. Removê-lo de todos os materiais de treinamento, excluí-lo de todos os slides, apagá-lo de cada site em toda a web.

Atire nele com uma bala de prata, enfie uma estaca de madeira em meio a seu coração, queime os restos sem nenhuma cerimônia e espalhe as cinzas.

( Caramba, Kris, porque você não nos diz logo os seus sentimentos … )

OK, OK, então, vamos lá. Sim, eu estou sendo intencionalmente provocativo, mas eu venho fazendo um pouco de pesquisa sobre Inteligência nos últimos anos e cheguei a uma conclusão – como muitos antes de mim – que a nossa atual descrição do processo, que é chamado de “Ciclo da Inteligência” é fatalmente falha. Além disto, eu acho que estas falhas se tornaram tão severas, tão graves que continuar a adesão e promoção do ciclo é muito contraproducente.

Minha intenção a partir de segunda-feira e ao longo das próximas semanas é divulgar algumas das evidências que reuni sobre o ciclo e sobre as tentativas de salvá-lo dos seus próprios problemas, sobre as tentativas de substituí-lo por completo e ao final, deixarei que você forme sua própria opinião.

No final, tenho a intenção de recomendar ( sem nenhuma arrogância e bem consciente da possibilidade de algum erro de julgamento[1] ) a minha própria versão do processo de Inteligência; uma que eu acredito ser mais apropriada para as tarefas de Inteligência do século 21 e que trabalha, em teoria e prática; em todas as 3 principais sub-disciplinas da Inteligência nacional[2] – segurança nacional, negócios e aplicação da lei.

Próximo: desconexão entre a teoria e a prática

[1] A palavra original era Harmatia que é traduzida como s. incorreção trágica, erro de julgamento (na tragédia grega)
[2] Ele fala sobre Inteligência nacional ( National Intelligence ) pois ele é americano e segue a doutrina de Inteligência daquele país. Não obstante, é interessante observar que em todo o mundo, temos influência dos EUA neste quesito, pois são eles os pensadores mais influentes nesta linha do pensamento humano.

Mantenha este link no seu bookmark pois aqui estão linkados todos os posts da série.

ataliba

Analista de Sistemas com especialistas em Unix/Linux e Redes de Computadores aprendeu a gostar de segurança da informação durante sua atuação profissional e após uma Pós, se apaixonou por inteligência e ContraInteligência.

Você pode gostar...